Cotidiano

Breve adeus do carnaval

14 de fevereiro de 2018

De acordo com o dicionário,
Eu sou um festejo animado, alegre e barulhento.
Ah, sr Aurélio, tome tento
Que meu som não é um barulho.
É música pros meus filhos. Meus queridos foliões, que orgulho!

Se você se divertiu comigo nesses dias passados
Alegre-se sem se magoar
Trago uma notícia: não podemos ser namorados

Pois já está ficando tarde
como na mágica de um conto de fadas
Chegou a hora de vocês irem embora
Com muito cuidado, peguem suas estradas

Porque o carnaval também é a volta pra casa
É o adeus que damos à praia, a alguns amigos e às ruas
Que nos trarão sempre memórias
Lembranças que são minhas
e lembranças que são suas

É o tchau que já damos saudosos
Com a tristeza do fim e o anseio de recordar
Que o ano que vem trará os dias mais gostosos
Que fevereiro é capaz de nos dar

No fim das contas, esse pode ser mesmo um pão e circo
Do qual, me perdoem, eu preciso fazer parte
Porque não existe nada mais intrigante a se descobrir:
É a arte que imita a vida, ou a vida que imita a arte?

E por ultimo, não se esqueça:
Um pouquinho de festa nunca fez mal a ninguém
Muito prazer, eu sou a Folia
Um beijo a todos e até o ano que vem

Foto: Hanna Queiroz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *