Opinião

Especial Oscar 2019: Segunda parte

23 de fevereiro de 2019

Por Hanna Queiroz

A 91ª cerimônia do Oscar já é amanhã e, para terminar nosso especial, confira nossa opinião sobre as produções que faltavam para completar a categoria de Melhor Filme. E você, já tem o seu preferido?

Leia aqui a primeira parte.

Green Book – O Guia

Os atores Viggo Mortensen e Mahershala Ali, respectivamente. (Foto: Reprodução)

Esse filme mostra o encontro de Tony Lip, um italiano trapaceiro, e Don Shirley, um músico clássico. A discoteca em que Tony trabalha fecha para reformas e o italiano precisa de um emprego temporário para sustentar sua casa. É aí que Don Shirley contrata Tony como seu motorista durante uma turnê de 2 meses. Contudo, se tem algo que não contei ainda, é que Tony é racista, assim como toda sua família italiana. E Don Shirley é negro. Os dois estão em turnê no Sul dos EUA na década de 60, quando o Apartheid se encontra no momento mais crítico de sua prática de atrocidades, e a presença do músico Don Shirley resulta em episódio de violência e ódio. Essas demonstrações fazem Tony enxergar o outro lado da história bem de perto.

O filme é baseado em fatos reais e seu nome, Green Book, foi influenciado pelo livro The Negro Motorist Green Book, um guia turístico para negros, que indicava restaurantes e dormitórios que aceitavam as “pessoas de cor”, publicado em 1936 por Victor Hugo Green.

Nasce uma estrela

Bradley Cooper também dirigiu o filme. (Foto: Reprodução)

Quem não quis assistir Nasce Uma Estrela porque achou que o filme fosse clichê e previsível, não poderia estar mais enganado. Sim, é um filme de romance e drama com muita emoção e intensidade. Mas não é nada previsível. Durante o filme todo você fica com uma sensação de que algo de errado vai acontecer, e quase nunca essa sensação está certa. Gosto de me sentir surpreendida, principalmente em tramas de romance. Figurinos, trilha sonora e atuações impecáveis. Além disso, foi o primeiro trabalho do ator Bradley Cooper como diretor. Reconhecimento merecido.

Na trama, o renomado cantor Jackson Maine conhece a aspirante à cantora, Ally. Os dois se apaixonam e começam a cantar juntos, o que resulta no estrelato de Ally e esquecimento de Jackson, que sofre de alcoolismo. Esse infortúnio com o álcool gera atritos na relação do casal, que é atormentado por alguns acontecimentos trágicos.

Vice

Christian Bale na atuação principal de Dick Cheney. (Foto: Divulgação)

Esse filme conta a história do ex Vice Presidente dos Estados Unidos, Dick Cheney. Sempre discreto, observador e calculista, nunca se soube muito sobre a vida pessoal de Cheney. Ele foi o vice-presidente do mandato de George W. Bush, de 2001 a 2009. Suas opiniões são muito conservadoras, característica que se reflete na sua administração política. As 8 indicações ao Oscar se deram devido à narrativa peculiar do filme. Há um narrador que conta os eventos de maneira cômica e, muitas vezes, debochada. Ele inclusive interage com quem está assistindo o filme.

A atuação de Christian Bale é outro ponto notável do filme. Mas, de longe, esse é o último lugar na minha preferência dos filmes indicados esse ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *