Cristiano Ronaldo - Instagram pessoal
Impedimento

CR7 – Idolatrado, mas não é bem assim

18 de março de 2019

FOTO: Instagram pessoal de Cristiano Ronaldo
Por Gabriella Brizotti

Que Cristiano Ronaldo é decisivo, não é novidade nenhuma. Sempre que o time do português precisa, ele está lá para ajudar, seja no Manchester United, Real Madrid ou, agora, na Juventus. Na partida pela Champions League, por exemplo, a equipe do camisa sete precisava de um bom resultado para avançar. No jogo de ida, contra o Atlético de Madrid, a Juve perdeu por 2 a 0, portanto a reversão do placar era o necessário e, sem tempo para brincadeiras, lá estava ele, Ronaldo. O jogador marcou um hat trick e encaminhou a classificação para as quartas do torneio. Nas redes sociais, a excitação dos fãs foi clara – todos elogiavam a partida de CR7; as comparações com o argentino Lionel Messi foram inevitáveis, porém um outro grupo de torcedores relembrava uma história não muito antiga do português.

O caso

Em outubro de 2018, Ronaldo foi acusado de estupro por uma norte-americana. Na situação, Kathryn Mayorga assumiu ter passado a noite com o jogador, porém, pediu para que o ato sexual fosse interrompido pois não queria seguir. Seu pedido, contudo, não foi acatado. Na época, o atleta da Juventus negou o fato e disse que tudo não passava de uma fake news. Porém, nos últimos meses, o camisa 7 voltou atrás e assumiu à sua equipe jurídica que a americana tinha sim pedido para que ele parasse o ato – isso deflagra o crime de estupro. Apesar de praticamente ter confessado o crime – que aconteceu em 2009, logo que a transferência do Manchester United para o Real Madrid foi concluída – o jogador segue livre, sem punições e jogando normalmente na Itália, inclusive marcando gols e classificando no campeonato, como foi o caso contra o Atlético de Madrid. As opiniões na internet contra CR7 foram diversas vezes compartilhadas, na maioria delas por outras mulheres, que pedem justiça por Mayorga. Em contra argumento, fãs do jogador luso diziam “não devemos misturar futebol com vida pessoal”. Contudo, não foi a primeira vez que a vítima tentou divulgar o caso. Na ocasião, Cristiano ofereceu-lhe uma indenização” para manter sigilo (uma quantia equivalente a 375 mil dólares). Quase 10 anos depois, com o caso à tona, a justiça não foi cumprida para Mayorga e, mais uma vez, uma vítima de estupro é obrigada a conviver com seu abusador livre na sociedade, sendo idolatrado por muito, feito como herói, apenas por ser rico, famoso e branco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *