Cotidiano

Namoro não é falta de liberdade

12 de junho de 2019

Por Gabrielli Silva 

Me pediram para escrever sobre relacionamento e a primeira coisa que pensei foi no medo que já tive de me relacionar com alguém. Cresci rodeada de casais divorciados, relacionamentos fracassados e aos poucos fui perdendo a esperança. Não perdi a esperança no amor, mas confesso que já acreditei que nunca conseguiria me relacionar. Nos últimos anos, namoro se tornou sinônimo de falta de liberdade pra mim. E liberdade foi algo que eu sempre prezei, mesmo quando nem sabia direito o que era.

Quando eu falo de liberdade, estou me referindo desde àquela que conquistei quando saí da casa dos meus e deixei de dar satisfação, até a liberdade do meu próprio corpo, que venho conquistando a cada dia. E ter liberdade quando se é mulher não é algo nada fácil. Cresci com pessoas tomando conta do meu corpo e das minhas roupas, seja por conta do machismo ou por “precaução” devido a ele.

Eu cresci convivendo com pessoas que consideravam normal o homem decidir que roupa a esposa ou namorada poderia ou não usar, que lugares elas poderiam ou não frequentar, que pessoas elas poderiam ou não ter amizade. E, apesar da minha pouca idade e falta de conhecimento, isso sempre foi algo que me incomodou, mas que era tratado como normal pelas pessoas ao meu redor. E foi assim que, conforme eu fui crescendo, meu inconsciente passou a associar relacionamento com falta de liberdade.

Depois que entrei na faculdade tive mais consciência de mim e da minha liberdade, foi então que tive certeza que aquelas atitudes que me incomodavam realmente estavam erradas. E, cada vez mais, fui entendendo que eu não queria isso pra mim. Eu já não conseguia mais ignorar atitudes consideradas insignificante aos olhos de outras pessoas. E todas essas mudanças foram me afastando cada vez mais da ideia de conseguir encontrar algum cara que pudesse me entender e respeitar.

Como eu, que não uso sutiã e adoro ir pra festas com minhas amigas e dançar, vou conseguir me envolver com algum homem que vai reproduzir a cultura machista em que vivemos? Eu nunca estive disposta a abrir mão da minha liberdade por um namoro. Amor nenhum no mundo parecia valer a pena. E, foi só quando entrei em um relacionamento, que eu entendi que um namoro não precisava ser nada parecido com o que eu imaginava e com o que tinham me ensinado.

Não existe ou, pelo menos, não deveria existir regras de como um relacionamento deveria ser. Isso quem decide são as partes envolvidas, sem que isso prejudique ninguém. Nenhum relacionamento é perfeito, mas é uma construção e não deve ser um peso. Relacionamento é conversa, é ceder, mas também é não abrir mão de seus limites. É cumplicidade, mas sem perder a individualidade.

Ciúmes não é sinônimo de amor. Namorar não é tomar conta das escolhas do outro. Amor é liberdade e não prisão. Amar é escolha e não obrigação. Hoje, pra mim, namoro é sinônimo de respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *